Greve dos Trabalhadores da VARANDAS DE SOUSA (ex sousacamp) – Nota de Imprensa.

Os Trabalhadores da Varandas de Sousa estarão em greve, durante 24 horas, no próximo dia 16 de agosto, em protesto contra a falta de resposta da administração ao seu caderno reivindicativo, e realizarão ações de protesto e denúncia à porta das três unidades de produção.

New Project (6)

Os Trabalhadores da Varandas de Sousa decidiram nos plenários no mês passado agendar esta ação de protesto, com 1 mês de antecedência, para forçar atempadamente uma resposta da empresa ao seu caderno reivindicativo.

O caderno reivindicativo exige aumento salarial devido ao extraordinário aumento do custo de vida, impossível de dar resposta com o salário mínimo nacional, generalizado na empresa. Outra das reivindicações incide sobre a melhoria do subsídio de refeição, atualmente de 2,5€, claramente insuficiente para pagar ou adquirir qualquer refeição, por mais modesta que seja, ou em que local for. Esta reivindicação adquiriu importância maior quando a empresa decidiu aplicar, aos trabalhadores não sindicalizados no SINTAB, um subsídio de refeição mais alto determinado por um contrato coletivo assinado, a preceito, por um sindicato da UGT, que impõe o regime de banco de horas e determina o corte pela metade ao valor das horas extra. Isto tem servido de meio de chantagem por parte da empresa, discriminando trabalhadores no recurso ao trabalho suplementar, sugerindo-lhes o fim da sindicalização para que, aceitando ganhar menos pelas horas extra, recebam um subsídio de refeição melhor (que ainda assim insuficiente).

Estas situações têm originado confrontos entre chefias e Trabalhadores, por pressão da administração, que redundam em inúmeras ações discriminação, pressão excessiva, controlo individualizado a alguns Trabalhadores, e excesso de chamadas de atenção sobre índices de produtividade sem que assegurem, primeiro, as condições mínimas de trabalho, o que se tem refletido na grande quantidade de Trabalhadores com situações de lesões crónicas nos braços e ombros, bem como doenças profissionais.

A Varandas de Sousa é a empresa âncora do Grupo Sousacamp que passou por um processo de insolvência nos últimos anos, tendo sido perdoada uma dívida de cerca de 60M€ de dinheiros públicos, por intermédio do NOVO BANCO no processo BES.

A empresa foi adquirida EM 2020 pela CORE CAPITAL, uma Sociedade Gestora de Capital de Risco, que mantém 90% do controlo da sociedade, cedendo 10% à SUGAL, maior produtor europeu de concentrado de tomate.

A Varandas de Sousa mantém-se como líder do mercado ibérico de produção e comércio de cogumelos frescos, detendo a quase totalidade do mercado nacional.

Os acionistas estão, neste momento, a realizar um forte investimento na unidade de Vila Flôr, para criar um centro de produção de composto para cogumelos, mas assumem o seu desinteresse pelo investimento nas pessoas, quer em formação, quer na melhoria das suas capacidades económicas e das suas vidas, isto num setor onde as pessoas assumem papel único e fundamental no processo de colheita, cuja capacidade de escolha de calibre e qualidade dos produtos é um processo unicamente manual e humano, não havendo equipamentos industriais que o façam. Prova disso tem sido a contínua opção por mão de obra estrangeira de legalidade questionável, que se verifica em crescendo em todas as unidades.

No dia 16, os Trabalhadores concentrar-se-ão à porta das unidades de produção da Varandas de Sousa, na Zona industrial de Constantim – Vila Real (conferência de imprensa às 10:00h); e na estrada nacional 214 em Benlhevai – Vila Flôr (conferência de imprensa às 12:00h).

ler em pdf       ver pré-aviso de greve

Greve nacional nas Conservas de peixe no dia 29 de julho

O SINTAB EMITIU UM PRÉ-AVISO DE GREVE, PARA TODO O SETOR DAS CONSERVAS DE PEIXE

  • POR AUMENTOS SALARIAIS DIGNOS!
  • PELA DEFESA DOS DIREITOS CONSAGRADOS!
  • PELA NEGOCIAÇÃO E MELHORIA DO CCT!
  • PELO DIREITO À VIDA FAMILIAR!

ver comunicado aos trabalhadores em pdfGREVE CONSERVAS 2022_06 (3)

DEPOIS DE NOS TER INFORMADO QUE APRESENTARIA PROPOSTA DE AUMENTO SALARIAL E DEIXARIA CAIR A “TEIMOSIA” DE ALTERAR OS HORÁRIOS DOS TRABALHADORES, A ANICP VEM AGORA DAR O DITO POR NÃO DITO, FAZENDO DEPENDER OS AUMENTO SALARIAIS (QUE AINDA NÃO DISSE QUAIS) DA ALTERAÇÃO AO ARTIGO 8º DO CCT DAS CONSERVAS DE PEIXE, VISANDO ALTERAR OS HORÁRIOS DE TRABALHO, OBRIGANDO OS TRABALHADORES A TRABALHAR FORA DE HORAS, DESVALORIZANDO A IMPORTÂNCIA DO EUILÍBRIO ENTRE AS SUAS RESPONSABILIDADES PROFISSIONAIS E A VIDA FAMILIAR, COMO SE OS TRABALHADORES DEIXASSEM DE SER PESSOAS E PASSASSEM A SER MÁQUINAS QUE SERVEM APENAS PARA PRODUZIR E AUMENTAR OS LUCROS DOS PATRÕES!

A PROMESSA FEITA ANTERIORMENTE SERVIU APENAS PARA EVITAR UMA GREVE DOS TRABALHADORES MAIS CEDO E A CONTÍNUA INSISTÊNCIA NA RETIRADA DE DIREITOS AOS TRABALHADORES, BEM COMO A MANUTENÇÃO DA POLÍTICA DE BAIXOS SALÁRIOS, DEMONSTRA A POUCA CONSIDERAÇÃO QUE OS PATRÕES TÊM POR QUEM TEM GARANTIDO O SEU ENRIQUECIMENTO.

O QUE OS TRABALHADORES PRECISAM É DE TRABALHAR MENOS E GANHAR MAIS!

SÓ COM MELHORES SALÁRIOS E MAIS TEMPO PARA A FAMÍLIA E LAZER, É POSSIVEL MANTER OS TRABALHADORES PRODUTIVOS E ANIMADOS QUE, COM MAIS PODER DE COMPRA, SÃO OS PRINCIPAIS DINAMIZADORES DA ECONOMIA CIRCULAR, ADQUIRINDO MAIS BENS DE CONSUMO QUE POTENCIAM A MELHORIA DAS EMPRESAS QUE OS PRODUZEM.

NÃO ACEITAMOS QUE NOS RETIREM TEMPO DE VIDA PARA A FAMÍLIA E LAZER!

A PROPOSTA DOS PATRÕES VISA PERMITIR O ALARGAMENTO DE HORÁRIOS, TRABALHANDO CONTINUAMENTE SEM RESSARCIR OS TRABALHADORES POR ISSO, TRANSFORMANDO-OS EM MEROS ROBÔS DE PRODUÇÃO, DESVALORIZANDO AS SUAS VIDAS E AS SUAS FAMÍLIAS.

A ATUAL REGULAMENTAÇÃO JÁ PERMITE QUE SE RECORRA AO TRABALHO SUPLEMENTAR EM SITUAÇÃO DE NECESSIDADE, DESDE QUE PAGO COMO É MERECIDO, MAS A SEDE DE LUCRO DOS PATRÕES É INSACIÁVEL!

SÓ COM A MOBILIZAÇÃO GERAL DOS TRABALHADORES CONSEGUIREMOS IMPEDIR ESTE ATAQUE!

ADERE À GREVE! SINDICALIZA-TE NO SINTAB!

DEFENDE OS TEUS DIREITOS E GARANTE AOS TEUS FILHOS UM FUTURO MELHOR!

SINTAB elege 4 dos 5 Representantes para Segurança e Saúde no Trabalho, na SUPER BOCK

Em eleições promovidas por uma outra organização sindical, que estiveram longe de cumprir os requisitos mínimos processuais, o SINTAB patrocinou uma candidatura abrangente e de Trabalhadores qualificados para o desempenho da responsabilidade que arrecadou quase 3/4 da totalidade dos votos.WhatsApp Image 2022-07-18 at 18.25.23

Este ato eleitoral põe fim ao mandato dos Representantes anteriores que haviam sido nomeados por acordo entre o SINTAB, a Comissão de Trabalhadores, a empresa e uma outra organização sindical, curiosamente a mesma que o denunciou, apesar de ter dado o seu consentimento e assinado a ata que o ratificou.

O processo iniciou-se em 2019 e, desde então, falhou inúmeras vezes por falta de competência institucional organizativa de quem o organizou, tendo agora chegado ao fim, não sem que se apresentasse ferido de demasiadas irregularidades e ilegalidades suficientes para a sua impugnação.

Este resultado assume importância acrescida numa empresa onde o universo de Trabalhadores não se tem colocado, noutras circunstâncias de decisão, do lado da postura vincada e assumidamente ideológica do SINTAB, na dimensão dos números que este processo determinou.

Os Dirigentes e Delegados Sindicais do SINTAB, assim como os candidatos RTSST, assumem que este resultado demonstra que, em matéria de Segurança e Saúde no Trabalho, dada a importância do tema e fundamentalidade da competência do trabalho desenvolvido está para lá da existência de convergência ideológica.

Os Trabalhadores da Super Bock demonstraram, uma vez mais, estarem à altura das mais importantes decisões.

Os Trabalhadores eleitos estão conscientes do peso da responsabilidade e da necessidade de, a partir de agora, melhorar inúmeros aspetos já identificados pelos Trabalhadores.

 

Comunicação aos Trabalhadores da COFISA

O SINTAB vai realizar um plenário no dia 21 de julho, pelas 15:00h para todos os Trabalhadores.

Este plenário servirá para dar a conhecer aos Trabalhadores o ponto de situação do processo negocial do CCT das conservas de peixe entre a FESAHT e a ANICP.

Ao contrário do que tinha dado a entender anteriormente, quando tinha sugerido reunir a meio do mês para a apresentar a sua proposta de aumento salarial e demais alterações, a ANICP veio agora dizer que apenas aceita negociar mediante a aceitação, por parte dos Trabalhadores, à alteração do artigo 8º do CCT das conservas de peixe, visando alterar os horários de trabalho, obrigando os Trabalhadores a trabalhar fora de horas, desvalorizando a importância do equilíbrio entre as suas obrigações profissionais e a sua vida familiar, como se os Trabalhadores deixassem de ser pessoas e passassem a ser máquinas que servem apenas para produzir e aumentar os lucros dos patrões.

ESTA É UMA SUGESTÃO INADMISSIVEL, ASSENTE NUMA PROPOSTA QUE OS TRABALHADORES JÁ TINHAM REJEITADO DE FORMA CLARA EM PLENÁRIOS!

ASSIM, O SINTAB EMITIU UM PRÉ-AVISO DE GREVE PARA O DIA 29 DE JULHO, POR AUMENTOS SALARIAIS DIGNOS, PELA DEFESA DOS DIREITOS CONSAGRADOS, E PELA NEGOCIAÇÃO E MELHORIA DO CONTRATO COLETIVO DE TRABALHO.

O PRÉ-AVISO DE GREVE ABRANGE TODOS OS TRABALHADORES, SINDICALIZADOS OU NÃO, QUER SEJA NO SINTAB OU QUALQUER OUTRO SINDICATO.

EAAM20220718_001 Comunicado GREVE COFISA_pages-to-jpg-0001 (1)

ver em pdf…

Trabalhadores da RANGEL na Super Bock fizeram plenário na rua – NOTA DE IMPRENSA

Os Trabalhadores da Rangel Logistics Solutions, empresa que explora a operação logística na fábrica da Super Bock e Leça do Balio, foram hoje impedidos de realizar o seu plenário no posto de trabalho e tiveram de o realizar na rua.

A proibição veio da própria Super Bock e os Trabalhadores decidiram, por isso, transferir a realização do plenário para a rua.288995446_5342984229078274_1870280475035795415_n

Esta não é a primeira vez que a Super Bock impede os SINTAB de realizar os plenários de trabalhadores de empresas subcontratadas, tendo-o feito anteriormente com os Trabalhadores da CONDUCTOR que viria posteriormente a despedir. Já nessa altura o SINTAB denunciou esta situação como um atropelo grosseiro aos direitos dos Trabalhadores, no caso, um dos seus direitos fundamentais previstos na constituição, o direito de reunião.

A Super bock não tem o mesmo comportamento com outros Sindicatos. Tanto os Trabalhadores da Cantina como os da limpeza e segurança têm realizado pacificamente os seus plenários no interior das instalações sem que a empresa coloque quaisquer objeções, denotando-se aqui uma clara discriminação aos trabalhadores sindicalizados no SINTAB.

O agendamento deste plenário havia já sofrido pressões várias da própria RANGEL que chegou mesmo a exigir o cumprimento de serviços mínimos durante o período em que decorresse o plenário, o que os Trabalhadores declinaram.

Esta conduta da Super Bock será, mais uma vez, denunciada pelo SINTAB às Autoridades competentes, esperando-se que, desta vez, se faça justiça e sejam penalizados os prevaricadores.

Piquete de Greve nos SILOS DE LEIXÕES

Os Trabalhadores dos SILOS DE LEIXÕES vão constituir um piquete de greve à porta da empresa, em Leça da Palmeira, a partir das 8:00h de sexta feira, dia 17 de junho, período em que decorre greve total de 24 horas.

Os membros que constituem o piquete de greve, e restantes Trabalhadores, estarão à porta da empresa para dar nota dos motivos e decorrência desta ação de luta.

GREVE SILOS DE LEIXOES (4)Prevê-se que a paralisação afete todas as cargas e descargas de cereais, nomeadamente o abastecimento à indústria alimentar, de moagens e panificação, e a descarga de navios.

Os Trabalhadores dos SILOS DE LEIXÕES estão há mais de 12 anos sem aumentos salariais e sem contratação coletiva.

Já este ano, devido à iniciativa reivindicativa dos Trabalhadores, a empresa processou aumentos salariais, fora do âmbito da negociação com o SINTAB, que os Trabalhadores consideram insuficientes.

A empresa deu ainda nota de não ter qualquer intenção de aplicar a contratação coletiva que o SINTAB refere como aplicável à atividade, nem qualquer outra, mantendo os direitos circunscritos ao Código do Trabalho, atitude que os Trabalhadores consideram depreciativa em relação ao seu trabalho e provocatória.

A empresa SILOS DE LEIXÕES é uma subsidiária do Grupo Champalimaud, detentora do contrato de concessão da operação de cargas, descargas e armazenamento de cereais no Porto de Leixões. Em 2012, a empresa procedeu ao afastamento do AE da Silopor, a cuja aplicação esteve obrigada por apenas 5 anos após o início da concessão, deixando, a partir dessa data, os Trabalhadores sem a maioria dos direitos que tinham até aí e sem atualizações salariais.

TABAQUEIRA – Plenários ratificam atualização do A.E. – NOTA DE IMPRENSA

Os Trabalhadores da TABAQUEIRA decidiram na passada quarta feira, em plenário, aceitar a proposta de revisão do Acordo de Empresa que resultava da negociação promovida pelo SINTAB.

O acordo que agora será assinado, com vinculação a 1 ano, garante aos Trabalhadores um aumento salarial de 2,7% com garantia mínima efetiva de 35 euros, a atualização em 10% de todas as bandas salariais, e ainda a garantia de que o acesso á nova função, com a categoria de Técnico de produção, será apenas voluntário, e com acordo do Trabalhador, garantindo uma gratificação de 350€.cigarros

Este é um processo que se arrasta desde há dois anos, altura em que a empresa exigia, como contrapartida aos aumentos salariais, uma alteração ao descritivo de funções que colocava Técnicos de operação e Técnicos de manutenção com a mesma categoria, “obrigando-os” a uma maior polivalência e que desvirtuava a profissão de ambos, cujas especificidades técnicas são distintas.

Nesse ano, apesar da concordância do sindicato da UGT com todas as propostas da empresa, os Trabalhadores acorreram em massa aos plenários do SINTAB / CGTP-IN vincando a sua completa oposição à proposta, o que levou a empresa a uma decisão unilateral e arbitrária de atualização dos salários em 30€, sem acordo com o SINTAB. No ano passado os Trabalhadores não tiveram qualquer aumento.

Perante a garantia de voluntariedade de adesão à nova função, os Trabalhadores decidiram, este ano, ratificar o acordo proposto.

A TABAQUEIRA PORTUGUESA é a maior fábrica de tabacos em Portugal, e é totalmente detida pela PHILIP MORRIS INTERNATIONAL. É uma das maiores empresas exportadoras nacionais, que emprega mais de 1000 Trabalhadores, e a fábrica de Albarraque, em Sintra, produz as principais marcas de tabaco a nível nacional e internacional, como SG, Português, Marlboro, L&M e Chesterfield, dedicando-se agora também à produção e desenvolvimento dos cigarros eletrónicos.

ler em pdf

SILOS DE LEIXÕES – Trabalhadores endurecem luta e agendam greve para 17 de junho – NOTA DE IMPRENSA

Os Trabalhadores dos SILOS DE LEIXÕES decidiram hoje, em plenário, endurecer a sua luta por melhores salários, direitos e condições de trabalho, culminando com o agendamento de uma greve de 24 horas para o dia 17 de junho.

Perante os aumentos salariais insuficientes que a empresa decidiu processar em maio, à revelia da negociação com o SINTAB, os Trabalhadores consideram-nos insuficientes e muito longe da reivindicação de 200€ que, ainda assim, não cobriria a perda de rendimentos decorrente de mais de 12 anos sem atualização salarial.silos

No caderno reivindicativo que o SINTAB remeteu à administração dos Silos de Leixões, os Trabalhadores exigem, além de aumentos salariais, a universalidade do subsídio de pó (que a empresa processa apenas a alguns), a melhor organização dos horários e a regulamentação do recurso à isenção de horário, semana de trabalho de 35 horas e 25 dias de férias.

A reivindicação assenta ainda na aplicação do CCT para a indústria das moagens, acordado entre a APIM e a FESAHT, na sua vertente “apoio e manutenção” cuja portaria de extensão alarga o âmbito e aplicabilidade à atividade dos Silos de Leixões.

Recordamos que, desde 2012, estes Trabalhadores não possuem Contratação coletiva por afastamento do AE da Silopor, após a cedência de concessão à empresa SILOS DE LEIXÕES, do Grupo Champalimaud. Desde esta data que a maioria dos direitos destes Trabalhadores se esfumaram e lhes passou a ser aplicado o Código do Trabalho, acarretando perda de direitos e rendimentos.

ler comunicado em pdf               visualizar pré-aviso de greve

 

Trabalhadores da UNICER AT ratificam AE em plenário – NOTA DE IMPRENSA

Os Trabalhadores da UNICER ASSISTÊNCIA TÉCNICA decidiram hoje, em plenário, aceitar a proposta de Acordo de Empresa que resultava da negociação promovida pelo SINTAB.

O acordo que agora será assinado garante aos Trabalhadores a consolidação de um texto de regulamentação próprio, cuja melhoria depende unicamente, a partir de agora, da sua capacidade reivindicativa.

15586181456_c6628c8189 (1)

Além disso, assegura no imediato um aumento salarial de 30€, o pagamento de 25€ mensais para custear a higienização das fardas de trabalho, desde sempre à sua responsabilidade, 25 dias de férias, tolerância de ponto no dia 31 de dezembro à semelhança do já praticado no dia 24 de dezembro, regulamentação da evolução de carreira com progressão horizontal na tabela salarial, que nunca existiu até agora e a valorização, para o dobro, dos valores de trabalho suplementar.

Na comunicação à empresa, o SINTAB realçou o facto de a votação ter sido especialmente equilibrada, o que demonstra que a decisão tomada resulta de uma ponderação circunstancial, e não satisfaz, ainda, o pleno da perspetiva de ganhos a que os Trabalhadores se propuseram, assumindo apenas papel de alavanca para as próximas reivindicações, sempre com vista à convergência de direitos e rendimentos com os Trabalhadores da Super Bock Bebidas.

O SINTAB congratula-se com o elevado espírito democrático em que decorreram os plenários de hoje em Leça do Balio, Santo Antão do Tojal e Faro, e ainda com o facto de esta decisão garantir uma excelente ferramenta de trabalho para que, de forma contínua, se reforcem salários, direitos e condições de trabalho dos Trabalhadores da UNICER AT com vista à convergência de direitos de todos os Trabalhadores do grupo SUPER BOCK.

A “UNICER ASSISTÊNCIA TÉCNICA” é uma empresa do SUPER BOCK GROUP, totalmente detida pela SUPER BOCK BEBIDAS e pela SUPER BOCK SGPS, e que se dedica ao comércio e reparação das instalações e equipamentos de pontos de venda de marcas do Grupo.

ler em pdf…

Defesa da Contratação Coletiva do Setor das Moagens. Campanha Nacional.

O SINTAB está, desde hoje, em contacto com os Trabalhadores do setor das moagens, em defesa da Contratação Coletiva.1a9bc13ca91ce4f77321af49b7dc17a9-0

A Campanha mobiliza-se apoiada num documento de contacto promovido pela FESAHT e abordagens verbais à portas das fábricas e armazéns de norte a sul do país.

Em diversas empresas, os Patrões comunicaram aos seus Trabalhadores que a Contratação Coletiva havia caducado e passaram a aplicar o Código do Trabalho, resultando numa enorme perda de direitos e rendimentos para quem trabalha.

As associações patronais tinham promovido o requerimento da sua caducidade já desde antes de 2015, mas esta tem esbarrado na suspensão das portarias de caducidade de contratação coletiva acordada entre o governo e os partidos de esquerda, que se tem mantido.

É importante que os Trabalhadores se oponham a esta ofensiva ilegal dos patrões, mas também que ponham em prática, com o seu Sindicato, várias ações de pressão sobre o Governo de forma a que se acabe, de uma vez por todas, com a caducidade da contratação coletiva que representa uma inqualificável pressão sobre as nossas vidas!

ver documento em pdf