Arquivos de Destaques

Do que tem medo a ETMA?

IMG_20191017_172508A empresa de mármores ETMA , em Bencatel, Vila Viçosa, ”tudo tem feito, sucessiva e reiteradamente, antes de cada plenário de trabalhadores, para obstaculizar a sua realização” acusa o sindicato que representa os trabalhadores do sector, STCCMCS, numa nota à imprensa divulgada esta manhã.

Nota à Imprensa do STCCMCS:

A ETMA – Empresa de Transformação de Mármores do Alentejo, SA, em Bencatel, Vila Viçosa, convive mal com a liberdade sindical e a democracia.

Desde a eleição dos delegados e da constituição da Comissão Sindical, fruto da necessidade dos seus trabalhadores estarem representados e realizarem plenários para discussão e aprovação das matérias e assuntos do seu interesse, a empresa tudo tem feito, sucessiva e reiteradamente, antes de cada plenário de trabalhadores, para obstaculizar a sua realização.

Uma das últimas tentativas foi na passada segunda-feira, dia 14, usando expedientes não previstos em nenhum normativo legal e de clara ingerência na organização sindical ao questionar acerca de quais eram os dirigentes sindicais, qual o seu número de Cartão de Cidadão, quais os assuntos que iriam ser tratados no Plenário de Trabalhadores, etc.

E a postura assumida nesta quinta-feira, dia 17, à hora da saída, aquando do contacto exterior do Sindicato com os trabalhadores, mandou colocar barreiras físicas junto ao parque de estacionamento, numa clara tentativa de tentar condicionar e impedir o contacto com os trabalhadores, mesmo no exterior da empresa!

Esta é a atitude, de quem convive mal com a democracia e a liberdade sindical.

E elas não podem ficar à porta das empresas!

Não nos deixamos condicionar por estas posturas patronais intoleráveis e abusivas, já convocámos um novo plenário de trabalhadores, nos termos legais, para o dia 24 de Outubro, às 08h00, no interior da empresa, para com os trabalhadores, se debaterem as matérias reivindicativas imediatas.

É UMA EMERGENCIA NACIONAL O AUMENTO GERAL DOS SALÁRIOS

20160518KeyPlasticsVendasNovasOs trabalhadores da Novares instalações de Vendas Novas manifestam o seu reconhecimento e solidariedade com a luta decidida em plenário pelos trabalhadores das instalações da fábrica em Leiria para o dia 4 de Setembro, por aumentos salariais justos para todos, com o mínimo de 40 euros.

Esta empresa que tem instalações em Leiria e Vendas Novas, teve em 2018 lucros superiores a 3,5 milhões de euros. Na unidade de Vendas Novas discrimina os trabalhadores em questões de parentalidade, não valoriza a antiguidade, exige dos trabalhadores dos turnos da tarde e noite 30 minutos de trabalho gratuito por semana,  sendo a maioria dos trabalhadores contratados através de vínculos precários.

Entendemos que é esta empresa não pode pagar salários de 614 euros, quando em 2018 teve lucro, aumentou as vendas e o valor pago a empresas de trabalho temporário.

Por tudo isto, os trabalhadores das instalações de Vendas Novas organizados no Sindicato SITE Sul reconhecem a justeza e a necessidade da forma de luta decidida pelos trabalhadores das instalações em Leiria (Vale da Arieira), reclamando a sua integração num processo negocial que venha a dar resposta aos problemas existentes, nomeadamente aumento geral dos salários e combate à precariedade.

Alteração da morada funcionamento da União Sindicatos do Distrito de Évora/CGTP-IN

A USDE/CGTP-IN informa todos os associados dos sindicatos que compõem a Casa Sindical de Évora, bem como os trabalhadores que trabalham no distrito de Évora, que a partir do próximo dia 1 Março 2019, vamos funcionar provisoriamente, nas instalações do Sindicato dos Professores da Zona Sul, que sita,  Av. Condes de Vilalva, n.º 257: 7000-744 em Évora.

Esta alteração na morada de funcionamento, prende-se com a concretização do projecto de construção em Évora da nova Casa Sindical da CGTP-IN, que garantirá melhores condições de trabalho para os funcionários sindicais, bem como melhor acolhimento e atendimento aos trabalhadores que ali se dirigiam, potenciando assim mais meios e força aos sindicatos para a intervenção sindical.