Arquivos de Destaques

Milhares na manifestação contra a proposta de revisão do código laboral

IMG_20190411_212309Também do distrito de Évora foram muitos trabalhadores que se juntaram aos milhares de trabalhadores de todo o país que participaram, esta quinta-feira, na Concentração Nacional em frente Assembleia da República em Lisboa, promovida pela CGTP-IN contra a proposta de revisão do Código do Trabalho que o governo do PS viu aprovada, na generalidade, com o apoio do PSD, do CDS e do PAN, na sequência do acordo celebrado entre governo, patrões e UGT na concertação social.

É uma proposta que alarga o período experimental de 90 para 180 dias para os jovens à procura do primeiro emprego e os desempregados de longa duração, prevê a aplicação de taxas para legitimar a precariedade, introduz o banco de horas grupal de 150 horas anuais de trabalho não pago, generaliza e alarga os contratos de muito curta duração de 15 para 35 dias e mantém a caducidade da contratação colectiva. É uma proposta que conflitua com princípios constitucionais para satisfazer os interesses patronais e é uma afronta aos trabalhadores que vão continuar a luta até à sua revogação.

É PRECISO ROMPER COM A POLÍTICA DE DIREITA E AVANÇAR NO PROGRESSO E DESENVOLVIMENTO DO PAÍS!

É tempo de tudo fazer para somar luta à luta e de construirmos um Grande 1º de Maio e participar na Manifestação Distrital em Évora às 15H30 junto ao Teatro Garcia Resende, onde se reafirme as reivindicações dos trabalhadores “Avançar nos direitos! valorizar os trabalhadores!”

Resolução

 

Grupo Luz Saúde quer impedir a actividade sindical agora no Hospital da Misericórdia de Évora

ImageGenO CESP, Sindicato dos Trabalhadores do Comércio, Escritórios e Serviços de Portugal, vem denunciar que o Grupo Luz Saúde, dono do Hospital da Misericórdia de Évora, continua a ignorar a Constituição da República Portuguesa, nomeadamente, o disposto no seu Artigo 55.º, Liberdade Sindical, que prevê o direito de exercício de actividade sindical na empresa. 

Desta vez, este grupo privado de saúde, proibiu no passado dia 8/04/2019, no Hospital da Misericórdia de Évora, que o CESP dialogasse com os trabalhadores, recusando a entrada dos Dirigentes neste local de trabalho.

Com efeito, à hora previamente marcada, os Dirigentes do CESP foram recebidos pelos representantes da administração deste hospital informando que não estavam autorizados pela Luz Saúde a desenvolver a actividade sindical de acordo com o previsto na Lei.

Reiterado este comportamento que não se coaduna com a democracia, os Dirigentes do CESP, informaram a ACT a solicitar a sua pronta intervenção, o que não ocorreu e chamaram também as autoridades na tentativa de repor a legalidade.

Aquando da chegada das autoridades, os Dirigentes Sindicais foram informados que apenas iriam fazer ocorrência do sucedido, pelo que, não foi possível dialogar com os trabalhadores desta empresa que diz, pasme-se, defender valores onde são respeitados os outros e as suas ideias.

Conforme consagrado na Constituição e na Lei, a liberdade sindical conquistada pelos trabalhadores com o 25 de Abril é um direito, do qual o CESP nunca abdicará e continuará a lutar intransigentemente pelo seu cumprimento, tendo já prevista uma denúncia aos trabalhadores e utentes, neste local de trabalho, nos próximos dias.

Na verdade, o grupo Luz Saúde, não quer que o CESP realize actividade sindical porque têm medo que os trabalhadores do Hospital da Misericórdia de Évora se esclareçam e exijam os seus direitos, bem como o justo aumento dos salários.

Entre outros direitos, não está a ser respeitado:

- O pagamento de subsídio mensal de turno a que os trabalhadores têm direito desde 2010;

- O direito a dois dias de descanso semanal;

- O acréscimo de 100% sobre a retribuição pelo trabalho realizado em dia de feriado ou em dia de descanso;

- O pagamento do complemento de subsídio por acidente de trabalho assegurando a totalidade de retribuição do trabalhador;

- O desconto indevido no salário dos trabalhadores das faltas justificadas sem perda de retribuição previstas na Lei.

O Grupo Luz Saúde, dono do Hospital da Misericórdia de Évora e associado da Associação Portuguesa da Hospitalização Privada (APHP), tem milhões de euros de lucros todos os anos e, vergonhosamente, paga aos seus trabalhadores o salário mínimo nacional!

Fonte: Direcção Regional do CESP

 

 

Alteração da morada funcionamento da União Sindicatos do Distrito de Évora/CGTP-IN

A USDE/CGTP-IN informa todos os associados dos sindicatos que compõem a Casa Sindical de Évora, bem como os trabalhadores que trabalham no distrito de Évora, que a partir do próximo dia 1 Março 2019, vamos funcionar provisoriamente, nas instalações do Sindicato dos Professores da Zona Sul, que sita,  Av. Condes de Vilalva, n.º 257: 7000-744 em Évora.

Esta alteração na morada de funcionamento, prende-se com a concretização do projecto de construção em Évora da nova Casa Sindical da CGTP-IN, que garantirá melhores condições de trabalho para os funcionários sindicais, bem como melhor acolhimento e atendimento aos trabalhadores que ali se dirigiam, potenciando assim mais meios e força aos sindicatos para a intervenção sindical.