Arquivos de usde

Grande iniciativa da INTER-REFORMADOS Évora

No passado dia 8 de Maio INTER-REFORMADOS/União de Sindicatos do Distritos de Évora realizou uma iniciativa convívio/debate, que contou com mais de cinquenta reformados.

Os participantes visitaram no Seixal o Eco-museu, o Núcleo Naval e o Moinho de Maré de Corroios, espaços memória de actividades tradicionais daquele concelho.

De entre as actividades do mundo do trabalho tradicionais do concelho, foi possível uma maior informação relativamente à diversidade de embarcações tradicionais que existiram no estuário do Tejo e às suas técnicas de construção artesanais (actividade naval).

Na visita ao Moinho de Maré houve a possibilidade de se conhecer actividade moageira que existiu noutros tempos pelo aproveitamento da energia das marés.

No debate que se seguiu, que contou com a participação de J.Travassos da Direção Nacional da Inter-Reformados e de Luís Leitão da Comissão Executiva da CGTP-IN e Coordenador da União Sindicatos Setúbal, onde foram focados, entre outros, os seguintes aspecto: património/atividades/características do concelho do Seixal, a Inter-Reformados como departamento da CGTP-IN para o trabalho dos reformados, o papel dos reformados como cidadãos activos, a luta dos trabalhadores no activo  por melhores condições de horários de trabalho e melhores  salários e pensões, a luta dos trabalhadores do activo é também a luta dos reformados para a sua melhor qualidade de vida, a importância do exercício do direito de voto e do voto consciente na defesa dos direitos dos reformados.

É tempo de dar dignidade aos reformados e aposentados do nosso país.

Consciente da necessidade de prosseguir e intensificar a luta no final da iniciativa apelou-se à participação dos reformados e pensionistas já na próxima acção de luta  dia 26 de Maio, dia das eleições para o Parlamento Europeu, votar pelo direito dos reformados e pensionista, pelo direito ao  trabalho, contra o neoliberalismo; pela soberania, contra o federalismo; pela Paz, contra a militarização da UE; pela independência e pelo futuro de Portugal. Este é o dia de levar a luta ao voto, rejeitando as políticas responsáveis pelo ataque aos direitos dos trabalhadores e ao desenvolvimento do país e apoiando aqueles que sempre estiveram com a CGTP-IN, com as suas propostas e reivindicações.

Grandioso 1 Maio no Distrito de Évora

Grandioso 1 Maio ÉvoraA Direcção da USDE/CGTP-IN saúda todos os dirigentes, delegados e activistas sindicais, que de forma determina se desdobraram em diversas acções de esclarecimento e mobilização dos trabalhadores e da população para a participação nas grandiosas iniciativas do 1 Maio que realizamos no Distrito.

Saudamos igualmente, os trabalhadores, os jovens, os desempregados e os reformados que, no dia 1 de Maio mais de dois mil em todas as comemorações em que a parte da manhã teve uma vertente cultural e desportiva em Arraiolos, Évora, Montemor-o-Novo, Vendas Novas e que saíram à rua com as suas reivindicações participando na grande manifestação distrital que começou junto ao teatro Garcia Resende até à Praça 1 Maio em Évora, fazendo do Dia Internacional do Trabalhador uma jornada nacional de luta memorável para “avançar nos direitos; valorizar os trabalhadores”.

Portugal precisa de valorizar os trabalhadores para se desenvolver económica e socialmente. O aumento dos salários é fundamental para assegurar uma outra distribuição da riqueza, melhorar o poder de compra das famílias, dinamizar a procura interna, criar mais e melhor emprego, combater as desigualdades e a pobreza laboral, reforçar a sustentabilidade da segurança social e garantir a melhoria das pensões de reforma e da protecção social.

O tempo que vivemos exige escolhas transparentes e objectivas. Urge falar claro e fazer opções. Os trabalhadores precisam de saber com quem podem contar.

No momento em que se aproximam as eleições para a Assembleia da República, a CGTP-IN apresenta 5 eixos centrais reivindicativos para colocar o País no rumo do progresso e justiça social, os quais foram aprovados no final da manifestação.

  1. Avançar com o aumento geral dos salários dos trabalhadores, a valorização das profissões e a fixação do salário mínimo nacional nos 850€ a curto prazo, manifestando, desde já, disponibilidade para discutir a sua implementação.
  2. Avançar com a revogação das normas gravosas da legislação do trabalho e a rejeição da proposta laboral do Governo do PS, exigindo a extinção da norma da caducidade da contratação colectiva e o cumprimento dos princípios constitucionais do tratamento mais favorável, da estabilidade e segurança no emprego e da organização do trabalho em condições socialmente dignificantes para permitir a conciliação da vida profissional com a vida pessoal e familiar.
  3. Avançar com um combate sério à precariedade, com a passagem a efectivos dos trabalhadores dos sectores público e privado que ocupam postos de trabalho permanentes, assegurando assim o cumprimento dos princípios constitucionais do direito ao trabalho e ao trabalho com direitos e da segurança no emprego.
  4. Avançar para as 35 horas de horário de trabalho semanal, sem perda de retribuição, num quadro em que com a evolução científica e tecnológica é necessário assegurar o emprego para todos e a colocação das mais valias produzidas ao serviço dos trabalhadores, dos povos e dos países.
  5. Avançar no reforço do investimento nos serviços públicos, nas funções sociais do Estado e na valorização dos trabalhadores da Administração Pública, para garantir a melhoria dos serviços a prestar às populações, indissociável da qualidade e esperança de vida e da coesão social e territorial do País.

Uma luta que vai continuar e saudamos, dia 10 Maio manifestação nacional convocada pela Frente Comum de Sindicatos da Administração Pública para Lisboa e todas as outras lutas que se vão realizar em empresas dos sectores público e privado.

Sim, vamos à luta também em 26 de Maio, dia das eleições para o Parlamento Europeu. Os trabalhadores e o País não precisam de mais deputados para defender a União Europeia neoliberal, federalista e militarista. Os trabalhadores precisam é de eleger mais deputados que defendam os seus direitos e interesses, contra as imposições e arbitrariedades da União Europeia. Vamos levar a luta até ao voto e votar naqueles que sempre apoiam os trabalhadores, que se solidarizam e estão de acordo com suas reivindicações, anseios e lutas.

Todos à manifestação do 1º de maio às 15h30 Évora!

No distrito de Évora o STAl tem uma significativa participação, quer na mobilização, quer na organização nas iniciativas de comemoração do 1º de Maio que se realizam em Vendas Novas, Montemor-o-Novo, Arraiolos e Évora. Ler mais

Cresce a Mobilização na Gestamp para o 1 Maio

Plenário GESTAMP 11/11/16Um abaixo-assinado foi subscrito por 170 trabalhadores da Gestamp Vendas Novas na exigência que lhes sejam aplicadas as Categorias Profissionais da Contratação Colectiva subscrita pela Federação de Sindicatos FIEQUIMETAL, bem como que lhes sejam Actualizados os Salários como forma de progressão na carreira, cresce a mobilização na Gestamp para participar no 1º de Maio da CGTP-IN em Vendas Novas e na manifestação distrital às 15H junto ao Teatro Garcia Resende me Évora. Ler mais

Pingo Doce: Greve 1 Maio

jc01_0_1Os trabalhadores do Pingo Doce / Jerónimo Martins estarão em greve no dia 1º de Maio, Dia do Trabalhador, para reivindicar a revisão do Contrato Colectivo de Trabalho.

Os trabalhadores do Distrito de Évora participarão na manifestação da USDE/CGTP-IN em Évora às 15H30 junto ao Teatro Garcia Resende. Ler mais

Também no distrito Évora Greve 1 Maio

1º Maio – dia de luta de todos os trabalhadores do comércio, escritórios e serviços com greve e participação na manifestação da USDE/CGTP-IN em Évora às 15H30 junto ao Teatro Garcia Resende. Ler mais

Milhares na manifestação contra a proposta de revisão do código laboral

IMG_20190411_212309Também do distrito de Évora foram muitos trabalhadores que se juntaram aos milhares de trabalhadores de todo o país que participaram, esta quinta-feira, na Concentração Nacional em frente Assembleia da República em Lisboa, promovida pela CGTP-IN contra a proposta de revisão do Código do Trabalho que o governo do PS viu aprovada, na generalidade, com o apoio do PSD, do CDS e do PAN, na sequência do acordo celebrado entre governo, patrões e UGT na concertação social. Ler mais

Grupo Luz Saúde quer impedir a actividade sindical agora no Hospital da Misericórdia de Évora

ImageGenO CESP, Sindicato dos Trabalhadores do Comércio, Escritórios e Serviços de Portugal, vem denunciar que o Grupo Luz Saúde, dono do Hospital da Misericórdia de Évora, continua a ignorar a Constituição da República Portuguesa, nomeadamente, o disposto no seu Artigo 55.º, Liberdade Sindical, que prevê o direito de exercício de actividade sindical na empresa.  Ler mais

Reforçar o trabalho sindical junto dos trabalhadores imigrantes no Alentejo

seminario-migracoes-04042019_evora_2Dirigentes, delegados e activistas sindicais de diferentes sindicatos estão hoje dia 4 Abril, reunidos na sede do Sindicato dos Professores da Zona Sul e onde está a funcionar a União dos Sindicatos de Évora/CGTP-IN (Av. Condes de Vilalva, n.º 257: 7000-744 em Évora), num seminário com o lema “Para defender os direitos e os salários! Reforçar a sindicalização trabalhadores imigrantes!”. Ler mais

43º aniversário da Constituição da República Portuguesa

A CGTP-IN saúda todos os que tornaram possível a aprovação da Constituição da República Portuguesa, na sessão plenária da Assembleia da República, no dia 2 de Abril de 1976, para entrar em vigor no dia 25 de Abril desse mesmo mês, segundo aniversário da Revolução de Abril, a revolução que restituiu ao povo português a liberdade, a democracia e os direitos e liberdades fundamentais. Ler mais