Arquivos de Notícias

Forte adesão à greve nacional da Administração Pública,

manif-cgtpA greve nacional que hoje está a decorrer, convocada pela frente comum de sindicatos da administração pública em que os trabalhadores estão a dar uma forte resposta com elevadíssima adesão e afirmam com a sua greve nacional, que não aceitam continuar a empobrecer!

Os trabalhadores da Administração Local estão cada vez mais pobres e a sofrer com o brutal agravamento do preço dos bens essenciais e da inflação, enquanto os grandes grupos económicos e o próprio Estado acumulam lucros e impostos obscenos!

Rejeitando continuar a empobrecer, os trabalhadores da Administração Pública mostram-se unidos e determinados em continuar a lutar por, designadamente: Aumento dos salários em 10%, num mínimo de 100 €, para todos os trabalhadores; Aumento do salário mínimo na Administração Pública para 850 €; Actualização do subsídio de refeição para 9 €; Correcção da Tabela Salarial – TRU; Revogação do SIADAP, e a sua substituição por um sistema de avaliação sem quotas, formativo, equitativo e justo; Aplicação efectiva do Suplemento de Penosidade e Insalubridade, e a inclusão do risco, abrangendo todos os trabalhadores que desempenham actividades penosas, insalubres e de risco; Descongelamento das promoções e das progressões nas posições remuneratória, abrangendo todas as carreiras e categorias; Reposição das carreiras, índices remuneratórios e dos conteúdos profissionais específicos; Valorização das carreiras profissionais específicas; Actualização do valor de todos os suplementos remuneratórios.

São estas reivindicações que valorizam os Serviços Públicos e se garantem as Funções Sociais do Estado.

No distrito de Évora no sector da Saúde e no Hospital do Espírito Santo, nos turnos da noite e da manhã, são várias as valências que se encontram a funcionar só com serviços mínimos, onde os mesmos têm de ser assegurados.

No sector da educação e nas escolas da rede pública, a maioria das escolas do ensino secundário e básico encontram se encerradas (sem actividades lectivas), devido á grande adesão á Greve dos trabalhadores professores e não docentes.

No sector da administração local, fica marcada pela forte adesão dos trabalhadores da Administração Local, que levou ao encerramento de muitos serviços e equipamentos municipais, juntas de freguesia, empresas municipais e serviços municipalizados.

A todos os trabalhadores da Administração Pública que hoje aderiram à Greve Nacional. A USDE/CGTP-IN dirige a sua saudação pela participação nesta grande jornada de luta e apela à sua participação na concentração junto Assembleia da República em lisboa no próximo dia 25 de Novembro convocada pela CGTP-IN com o lema sob o lema: “Mais salário! Melhores pensões! | Contra o aumento do custo de vida e o ataque aos direitos | Investir nos serviços públicos”, bem como a sua participação na Semana de Luta nas empresas e serviços | Acções de rua nos distritos”, entre 10 e 17 de Dezembro, com greves, paralisações e outras acções nas empresas, serviços e sectores e Acções de rua nos distritos, com o lema: “Aumentar os salários e as pensões | Garantir os direitos, Não ao aumento do custo de vida! Por alterações à Legislação Laboral que garantam os direitos!”

Este será um momento de grande importância, em que os trabalhadores de todos os sectores de actividade trarão à rua as suas reivindicações concretas, em luta pela melhoria das suas condições de vida e de trabalho, exigindo a valorização do trabalho e dos trabalhadores e uma política que garanta um futuro melhor num país desenvolvido que dignifique quem trabalha e produz a riqueza.

5,1% Não é aumento! É empobrecimento!

aumento-emergencia-nacionalAs dificuldades dos trabalhadores, reformados e pensionistas e suas famílias contrastam com o colossal aumento dos lucros do grande capital. Num momento em que tudo sobe menos os salários, o que é urgente é o aumento significativo dos salários e das pensões para garantir uma vida digna a quem trabalha e trabalhou.

SÃO MEDIDAS URGENTES E POSSÍVEIS PARA RESPONDER À SITUAÇÃO…

polvo-aumento-geral-salariosbalanca

Professores e Educadores hoje estão em Greve

EXIGE RESPEITO. Hoje DIA 2de Novembro é dia de Greve Nacional!

A Greve Nacional dos Professores e dos Educadores será um importante momento de exigência de Respeito e de rejeição da desvalorização e da discriminação a que a profissão docente tem estado sujeita.

A FENPROF exige um Protocolo Negocial com o Ministério da Educação que permita a recomposição da carreira (com a contagem integral do tempo de serviço e o fim das vagas e das quotas), um aumento salarial decente, que permita fazer face a uma inflação galopante que, em outubro, já passou os 10%, entre outras medidas, como o combate à precariedade, a regularização dos horários ou um regime de aposentação justo no tempo e no valor da pensão. Esta greve será, ainda, uma forma de os docentes afirmarem a sua indignação face a um discurso que põe em causa a sua seriedade, a medidas que os desprotegem em situação de doença incapacitante ou à ameaça de transferir para as escolas o seu recrutamento.

Os Professores e os Educadores exigem respeito e a valorização da sua profissão, estimando quem nela se mantém e atraindo os jovens que a abandonaram ou os que escolhem o seu futuro.

FONTE: FENPROF

Trabalhadores do Distrito de Évora participam na Manifestação da CGTP-IN em Lisboa

Évora na Manifestação 15 Out. em LisboaMilhares de trabalhadores na rua Sob o lema “Aumentos dos salários e pensões emergência nacional! Contra o aumento do custo de vida e o ataque aos direitos”, milhares de trabalhadores estiveram, esta tarde, nas ruas de Lisboa e do Porto, mostrando o seu descontentamento e a luta organizada, vinda dos locais de trabalho, unidos e com a confiança de que é possível, urgente e necessário o aumento geral dos salários e das pensões como elementos determinantes para avançar na valorização do trabalho e dos trabalhadores e na construção de um novo modelo de desenvolvimento do país. Ler mais

Mobilização e Luta no distrito Évora

A situação dos trabalhadores, das famílias, dos reformados e pensionistas, enfrenta um agravamento brutal. Primeiro à boleia da pandemia, agora com as sanções e a guerra, o que está em marcha é uma tentativa de assalto aos direitos e aos salários, às pensões e aos serviços públicos.

O exige medidas imediatas para aumentar os salários e pensões, travar a especulação, a degradação das condições de vida e a exploração, proteger e reforçar os serviços públicos e as funções sociais do Estado. Ler mais

Parabéns CGTP-IN | 52 anos com os trabalhadores

52-anos-webO dia 1 de Outubro de 1970, constituiu um marco de grande significado no percurso do movimento operário e sindical, força de progresso social e de emancipação dos trabalhadores.

Tendo como princípios a unidade, a democracia, a independência, a solidariedade e o sindicalismo de classe e de massas, a CGTP – Intersindical Nacional, constituída a partir da base pelos trabalhadores e para os trabalhadores, teve uma intervenção relevante na resistência ao fascismo, na luta pela liberdade, a democracia, os direitos laborais e sociais e a instauração e consolidação da Revolução de Abril.

Esta é a história daquilo que somos e de onde vimos – a história que evoca vidas de luta e sobrevivência, a história que traz à memória sacrifícios de gente que resistiu às amarguras do tempo.

Esta é a história da força e das raízes da coragem que deixaram marca.

Esta é a História de luta que não se pode perder.

É a história da CGTP -INTERSINDICAL NACIONAL na Unidade a Força dos trabalhadores!

 

Mobilização e Luta de 15 de Setembro a 15 de Outubro

craO Conselho Nacional da CGTP-IN decidiu convocar um mês de “Mobilização e Luta”, de 15 de Setembro a 15 de Outubro, sob o lema “Aumento dos salários e pensões – emergência nacional! Contra o aumento do custo de vida e o ataque aos direitos.”, a partir dos locais de trabalho, empresas e sectores, com a realização de plenários, concentrações, manifestações e greves, e a realização de uma acção convergente no dia 15 de Outubro, com manifestações em Lisboa e no Porto, pela exigência da resposta imediata às reivindicações dos trabalhadores: aumento dos salários de todos os trabalhadores em 90€; aumentos extraordinários, mesmo dos salários que foram actualizados, mas cuja revisão já foi absorvida pela inflação; aumento extraordinário do Salário Mínimo Nacional, fixando-o nos 800€, com efeitos imediatos; aumento extraordinário de todas as pensões e reformas que reponha o poder de compra e assegure a sua valorização; aumento das prestações de apoio social; revogação das normas gravosas da legislação laboral; fixação de limites máximos nos preços dos bens e serviços essenciais; aplicação de um imposto que incida sobre os lucros colossais das grandes empresas. Ler mais

Greve na AIS Portugal com adesão de 95%

aisO turno da manhã aderiu praticamente na totalidade à greve decidida pelos trabalhadores da empresa AIS Portugal Lda. marcada para o dia de hoje 7 de Julho, dando mais força ao dia de luta convocado pela CGTP-IN e que termina com a Manifestação Nacional às 15H em Lisboa.

A adesão de 95% dos trabalhadores à greve neste turno deixa clara a exigência destes para que a empresa se disponibilize a reunir com o sindicato, para ouvir, negociar e procurar dar resposta às preocupações dos trabalhadores. Ler mais

Acção de Luta Nacional

A CGTP-IN iniciou, dia 27 Maio, um período de luta pelo desagravamento das condições de vida com uma manifestação junto à Assembleia da República, enquanto decorria a aprovação do Orçamento do Estado para 2022 (OE2022) no plenário parlamentar.

A Acção de Luta Nacional, que decorreu sob o lema “Pelo aumento dos salários e pensões – Contra o aumento do custo de vida e ataque aos direitos”, começou a meio da manhã com duas pré-concentrações, uma no Rossio, com os trabalhadores dos distritos de Lisboa e Porto, e outra junto ao Jardim da Estrela, com os trabalhadores de Setúbal e dos restantes distritos do país.

No final, todos os manifestantes foram para junto da Assembleia da República para exigir respostas ao agravamento das condições de vida.

Vídeo

Junho vai ser mês de acção e luta

fotoO caudal de protesto vai engrossar com a luta a desenvolver durante todos os dias do mês de Junho, nas empresas e serviços, no sector público e privado, cabendo aos trabalhadores em cada local de trabalho, unidos e organizados, exigir com a luta a resposta às suas justas reivindicações e as soluções para os problemas dos trabalhadores, do povo e do país, convergindo no início de Julho numa grande acção Nacional em Lisboa! Ler mais