Arquivo da categoria: Acção Reivindicativa

Acção Reivindicativa

TRABALHADORES DA RAUSCHERT PORTUGUESA, S.A. CONCENTRAM-SE EM PLENÁRIO AO PORTÃO DA EMPRESA

WhatsApp Image 2023-06-28 at 18.28.50 (1)  WhatsApp Image 2023-06-28 at 18.28.50

 

O aumento dos preços veio para ficar, a inflação média chegou aos 8% em 2022 e o último aumento salarial foi rapidamente absorvido pelo aumento do custo de vida que continuamos a enfrentar.

A riqueza criada tem servido para encher os bolsos aos patrões, enquanto a esmagadora maioria dos trabalhadores da RAUSCHERT manteve o seu salário em valores muitos baixos (muitos mesmo, próximos do valor do salário mínimo nacional).

Estamos perante uma desconsideração aos trabalhadores da RAUSCHERT, porque:

À nossa proposta de aumento salarial no mínimo 10% ou 100€ por trabalhador, a Rauschert respondeu apenas com aumentos de 8% nos salários até aos 1000€; 5% até aos 1250€ e 4% para os restantes!

À nossa proposta de retirar o pagamento de 0,40€ pagos respeitantes ao valor refeição, a RAUSCHERT não respondeu!

O acto de gestão da empresa não aumenta o poder de compra e os trabalhadores estão mais pobres a trabalhar!!

Como tal, os trabalhadores da RAUSCHERT, reunidos hoje – dia 28 de Junho de 2023 – em plenário à porta da empresa, exigiram da empresa um – URGENTE – AGENDAMENTO DE REUNIÃO com vista a ser discutido:

  • Aumentos intercalares ainda durante este ano;
  • A valorização da antiguidade e experiência dos trabalhadores mais antigos;
  • E uma verdadeira negociação com a sua estrutura sindical.

 A Direcção do STCCMCS

28/06/2023

GREVE NA VIROC COM ELEVADA ADESÃO!

WhatsApp Image 2023-06-28 at 10.13.31

Os trabalhadores da VIROC PORTUGAL – Indústrias de Madeira e Cimento, SA, em Setúbal, estão hoje em greve, com adesão elevada, durante a primeira hora de cada turno para defender aumentos salariais dignos e melhores condições de trabalho.

Reunidos no início da manhã, aprovaram uma Resolução exigindo o agendamento de uma nova reunião com a Administração para discutir a revisão dos aumentos salariais em 2023 e a criação de anuidades de modo a valorizar a experiência e a antiguidade.

Os períodos de greve iniciaram-se no turno da meia-noite, no turno da manhã (8h00) e voltam a ocorrer no turno da tarde (16h00).

A LUTA CONTINUA!

A Direcção do STCCMCS

28/06/2023

PRÉ-AVISO DE GREVE – VIROC PORTUGAL, S.A.

POR SALÁRIOS DIGNOS E JUSTOS PARA TODOS OS TRABALHADORES

20181115_08150 1

Para demonstrar a sua indignação e dar força à reivindicação por aumentos salariais dignos, os trabalhadores da VIROC PORTUGAL , S.A., decidiram avançar para uma greve no dia 28 de Junho de 2023, entre as 00h00 e as 24h00, uma hora ao início de cada turno.
Os trabalhadores da VIROC PORTUGAL,S.A. consideram-se desvalorizados pela empresa quando cumprem as suas funções laborais com elevado profissionalismo, empenho e dedicação, com salários claramente insuficientes para fazer face ao aumento do custo de vida.
16 de Junho de 2023
(STCCMCS – Sindicato dos Trabalhadores das Indústrias de
Cerâmica, Cimentos e Similares, Construção, Madeiras,
Mármores e Cortiças do Sul e Regiões Autónomas)

Conquistado o maior aumento salarial dos últimos anos na CIMPOR!

Plenário CIMPOR

Fruto da unidade, da elevada participação, intervenção e disponibilidade dos trabalhadores para a luta, ao longo de todo o processo negocial, os recentes plenários mandataram a FEVICCOM para assinar no dia 12 de Abril a revisão salarial do Acordo de Empresa (AE CIMPOR) para este ano.

Esta revisão consagra um primeiro aumento intercalar de 4% acrescido de mais 4% com aumentos mínimos sobre os salários praticados de 90 Euros no 1º semestre de 2023 e de 110 Euros no 2º semestre, para além de 8% nas cláusulas pecuniárias.

Desta forma, na variação entre a última tabela publicada em 2022 e a tabela a publicar em 2023, verifica-se que:

No nível intermédio (Nível 8), o aumento salarial mensal será de:

142 Euros no 1º semestre de 2023 e 162 Euros no 2º semestre,

evoluindo dos 1.308,00€ para os 1.470,00€, ou seja, +12,4%.

 O aumento salarial mais baixo (Nível 1) será de 126 Euros e o mais elevado (Nível 15) será de 292 Euros.

  As restantes matérias pecuniárias terão acréscimos entre os 8% e os 12,2%:

- Subsídio de Refeição; Subsídio de Prevenção; Anuidades; Subsídios de Trabalhador-Estudante: aumento de 8%;

- Subsídio de Transporte: aumento mensal de 5 Euros (11,6%);

- Subsídios de turno: aumento de 12,2% na laboração contínua (fixando-se nos 457,50€).

 As actualizações serão processadas neste mês de Abril, com retroactivos a 1 de Janeiro de 2023 e publicadas em breve no Boletim de Trabalho e Emprego (BTE).

 JUNTOS, ACREDITÁMOS!

UNIDOS, CONQUISTÁMOS!

 

 

A Direcção Nacional da FEVICCOM

13 de Abril de 2023

TRABALHADORES DA SILICÁLIA VOLTAM À GREVE

ff59726080504ea9c8588603a4db44da_N-640x350

Para demonstrar a sua indignação e dar força à reivindicação, os trabalhadores da SILICÁLIA PORTUGAL, S.A. – Indústria e Comércio de Aglomerados de Pedra, S.A. em Abrantes, decidiram avançar para mais uma greve.

- Início às 22h00 do dia 13 de Março de 2023 e fim às 24h00 do dia 14 de Março de 2023

- Início às 22h00 do dia 15 de Março de 2023 e fim às 24h00 do dia 16 de Março de 2023.

Os objectivos são claros:

_ Efectiva negociação salarial com o Sindicato e melhoria das condições de trabalho
_ Aumento salarial digno, para todos os trabalhadores da empresa
_ Aumento do valor do subsídio de alimentação, para todos os trabalhadores da empresa
_ Reposição dos subsídios de turno indevidamente retirados
_ Seguro de saúde para todos os trabalhadores da empresa
_ Segurança e a saúde no trabalho e eliminação dos factores de risco que originam as doenças profissionais.

A Direcção do STCCMCS

13/03/2023

Comunicado aos trabalhadores da CIMPOR

CONTRA FACTOS, NÃO HÁ ARGUMENTOS!

WhatsApp Image 2023-02-23 at 09.59.09

Face ao comunicado da Direcção de Recursos Humanos da Cimpor de 22/02/2023 acerca da negociação do AE, vamos ao que interessa:

  1. A empresa teve no ano de 2021 um Resultado Líquido de 35,4 milhões de euros, o mais elevado dos três últimos anos. Por isso, não falta dinheiro para o aumento dos salários.
  1. Perante a elevada inflação, a redução do poder de compra e o descontentamento dos trabalhadores face à forma como foram distribuídos os lucros em 2022, a empresa sentiu a necessidade de processar 4% sobre os salários.
  1. Este valor foi aplicado apenas a partir de Julho limitando-se a mitigar parte do impacto da inflação verificada.
  1. Objectivamente, a proposta apresentada pela empresa para este ano é de 3,9% sobre os salários actualmente praticados.
  1. Ou seja, a partir de Janeiro de 2023, os trabalhadores não teriam um acréscimo mínimo de 110€, mas apenas uma actualização de 3,9% que pode significar, nuns casos, 40€, noutros 50€ e eventualmente noutros, 60€, mensais.
  1. Esta é uma proposta baixa para quem produz muito.

Se a Cimpor considera que os seus trabalhadores trabalham bem, então não tem de lhes pagar mal. Por isso, exigimos que a empresa responda positivamente às propostas sindicais.

  1. Quanto ao que se verifica nas mesas negociais de outras empresas, a Cimpor deve-se preocupar mais com aquilo que se passa cá e menos com o que acontece lá. Se o fizer, por certo, ultrapassará a actual situação.
  1. Nos processos negociais conduzidos pela FEVICCOM, os trabalhadores são quem mais ordena. São eles que constroem as reivindicações e têm voz determinante nas decisões.

Reafirmamos a nossa disponibilidade para uma negociação que assegure uma justa solução.

Compete agora à empresa dar os passos necessários para que tal aconteça.

 

A Direcção Nacional

23 de Fevereiro de 2023