Arquivo da categoria: Acção Sindical

Actividade e acção sindical

Encontro de trabalhadores dos mármores lançam campanha pela segurança e saúde

12801323_1268946343122822_7412012620025723976_nOs trabalhadores do sector dos mármores decidiram lançar uma campanha ao nível da segurança e saúde nos locais de trabalho, sob o lema “Ou fazemos em segurança, ou não fazemos!”, para exigir melhores condições de trabalho e efectivo combate aos riscos profissionais.

Amanhã, 19 de Novembro, assinala-se um ano sobre os dramáticos acontecimentos ocorridos nas pedreiras de Borba, que conduziram à morte de cinco pessoas, entre elas um trabalhador do sector dos mármores.

Entretanto, há apenas dez dias, em 9 de Novembro, um novo e dramático acidente de trabalho ocorrido numa pedreira de mármore, em Vila Viçosa, volta a trazer para a ordem do dia o problema da falta de segurança nas pedreiras.

Passado quase um ano dos trágicos acontecimentos mortais ocorridos nesta zona do país, a falta de segurança para trabalhar continua a ser uma realidade, as responsabilidades continuam por apurar e as mudanças concretas estão por efectivar.

Apesar da acção e intervenção dos trabalhadores e do sindicato, das propostas e exigências colocadas, as condições de trabalho nas pedreiras continuam a caracterizar-se por uma elevada insegurança, por baixos salários e pela ausência de mudanças qualitativas nas condições de trabalho, em paralelo com a inexistente ou ineficaz inspecção e fiscalização por parte das entidades responsáveis, nomeadamente da ACT (Autoridade para as Condições de Trabalho).

Não basta constatar e lamentar; há que intervir e impedir que novos acidentes voltem a acontecer, por nada ter sido feito.

Com esse objectivo, os trabalhadores do sector dos Mármores, após a realização de diversos plenários nas empresas, decidiram no Encontro Regional realizado neste fim-de-semana, em Bencatel (Vila Viçosa), entre outras medidas, lançar uma campanha ao nível da segurança e saúde nos locais de trabalho, sob o lema “Ou fazemos em segurança, ou não fazemos!”, que integrará medidas e acções concretas, a vários níveis, para exigir melhores condições de trabalho e efectivo combate aos riscos profissionais.

Para que novos acidentes não se verifiquem e para que as pedreiras de mármore deixem de ser, como até aqui, autênticos poços de morte, aos quais os trabalhadores descem todos os dias, sem saberem se regressam.

FONTE: FEVICCOM

Pedreiras de mármore não podem continuar a ser poços de morte!

12801323_1268946343122822_7412012620025723976_nUm novo e dramático acidente de trabalho hoje ocorrido numa pedreira de mármore, em Vila Viçosa, volta a trazer para a ordem do dia o problema da falta de segurança nas pedreiras.

Passado quase um ano dos trágicos acontecimentos mortais ocorridos nesta zona do país, a falta de segurança para trabalhar continua a ser uma realidade e as responsabilidades continuam por apurar. Continuar a ler

Horário de trabalho reduzido na Novares em Vendas Novas

Novaris vendas novasOs trabalhadores da Novares, fábrica da indústria química localizada no Parque Industrial de Vendas Novas, conquistaram uma redução do horário de trabalho, informou o SITE Sul.

Desde há vários anos que os trabalhadores desta fábrica, nos períodos de turno da tarde e noite, vinham a trabalhar semanalmente mais 30 minutos de trabalho extraordinário não pago. Estes dois períodos aconteciam nos turnos da noite de domingo e da tarde de sábado.

No dia 9, o SITE Sul apresentou à administração, em reunião, o Caderno Reivindicativo dos trabalhadores para 2020, do qual fazia parte a exigência do fim destes 30 minutos de trabalho não pago.

Esta medida já foi implementada, o que, salienta o sindicato, numa nota à comunicação social, constitui uma redução do horário de trabalho, vindo ao encontro de uma justa reivindicação dos trabalhadores.

Para além desta reivindicação, que foi agora possível alcançar devido à unidade dos trabalhadores, foram apresentadas outras à Novares, tais como:

- Aumento dos salários em 90 euros;

- Salário mínimo de admissão na empresa de 850 euros;

- Regularização das categorias e carreiras profissionais;

- Cumprimento dos direitos de parentalidade;

- Pagamento do trabalho extraordinário realizado;

- Fim dos vínculos precários;

- Medidas de combate às doenças profissionais.

- pagamento de trabalho extraordinário

- efectivação da formação profissional

- fim dos vínculos precários

- combate às doenças profissionais

O SITE Sul assinala que estas propostas são perfeitamente possíveis de alcançar e, tendo em conta os lucros da Novares, não pode ser alegado que ficaria em causa a estabilidade financeira da empresa.

FONTE: FIEQUIMETAL

Do que tem medo a ETMA?

IMG_20191017_172508A empresa de mármores ETMA , em Bencatel, Vila Viçosa, ”tudo tem feito, sucessiva e reiteradamente, antes de cada plenário de trabalhadores, para obstaculizar a sua realização” acusa o sindicato que representa os trabalhadores do sector, STCCMCS, numa nota à imprensa divulgada esta manhã.

Nota à Imprensa do STCCMCS:

A ETMA – Empresa de Transformação de Mármores do Alentejo, SA, em Bencatel, Vila Viçosa, convive mal com a liberdade sindical e a democracia. Continuar a ler

É UMA EMERGENCIA NACIONAL O AUMENTO GERAL DOS SALÁRIOS

20160518KeyPlasticsVendasNovasOs trabalhadores da Novares instalações de Vendas Novas manifestam o seu reconhecimento e solidariedade com a luta decidida em plenário pelos trabalhadores das instalações da fábrica em Leiria para o dia 4 de Setembro, por aumentos salariais justos para todos, com o mínimo de 40 euros.

Esta empresa que tem instalações em Leiria e Vendas Novas, teve em 2018 lucros superiores a 3,5 milhões de euros. Na unidade de Vendas Novas discrimina os trabalhadores em questões de parentalidade, não valoriza a antiguidade, exige dos trabalhadores dos turnos da tarde e noite 30 minutos de trabalho gratuito por semana,  sendo a maioria dos trabalhadores contratados através de vínculos precários.

Entendemos que é esta empresa não pode pagar salários de 614 euros, quando em 2018 teve lucro, aumentou as vendas e o valor pago a empresas de trabalho temporário.

Por tudo isto, os trabalhadores das instalações de Vendas Novas organizados no Sindicato SITE Sul reconhecem a justeza e a necessidade da forma de luta decidida pelos trabalhadores das instalações em Leiria (Vale da Arieira), reclamando a sua integração num processo negocial que venha a dar resposta aos problemas existentes, nomeadamente aumento geral dos salários e combate à precariedade.