Arquivo da categoria: Acção Sindical

Actividade e acção sindical

FEVICCOM | Solicita intervenção urgente da Ministra do trabalho

A situação de emergência que vivemos não pode deixar os direitos laborais à mercê das atitudes e procedimentos patronais unilaterais e ilegítimos, como está a acontecer em diversos sectores das indústrias que representamos (cerâmica, construção, vidro, cortiça, etc).

Por isso, solicitou ontem, em ofício enviado para o Ministério  a particular atenção e intervenção da Sr.ª Ministra do Trabalho, relativamente às situações expostas no requerimento enviado à Senhora Inspectora-Geral da Autoridade para as Condições do Trabalho.

Pedido de intervenção à ACT: http://sindicatos.cgtp.pt/feviccom/2020/03/26/feviccom-requereu-a-intervencao-inspectiva-urgente-por-parte-da-act/

FEVICCOM | Requereu a intervenção inspectiva urgente por parte da ACT

Não bastando a fase complexa em que vivemos, diversas administrações de empresas do sector industrial estão a desrespeitar e violar direitos e garantias laborais em diversos locais de trabalho. A FEVICCOM requereu a intervenção inspectiva urgente por parte da ACT

 

 1.        Nas empresas do GRUPO VISABEIRA, do sector da cerâmica/vidro (Fábrica Bordalo Pinheiro(em Caldas da Rainha/Leiria), Cerutil(em Satão/Viseu) e Vista Alegre Atlantis(em Alcobaça/Leiria);

Os trabalhadores foram confrontados com a imposição de férias no período de 23 de Março a 9 de Abril, contra a sua vontade.

Os trabalhadores da Vista Alegre (Lojas comerciais e Fábrica) estão a ser confrontados para assinarem, contra sua vontade, declarações para irem de férias.

Hoje mesmo, 25/3, depois de terem sido colocados em casa, estão a ser chamados e assediados (casos da Bordalo Pinheiro e da Cerutil) para assinarem um “livro de férias”, visando assim “concordar” com a marcação unilateral do período de férias da empresa.

2.         Na empresa CARL ZEISS do sector da óptica (Setúbal):

Os trabalhadores foram informados da alteração unilateral do horário de trabalho e imposição de turno único, desde 23 de Maio, sem fundamentação nem audição dos representantes sindicais.

A empresa de trabalho temporário KELLY que presta serviço na CARL ZEISS, enviou cartas individuais em 19/3 a cerca de meia centena de trabalhadores que desempenhavam funções profissionais diariamente na Zeiss, informando que os contratos tinham terminado a partir daquela data.

3.        Na empresa ESSILOR do sector da óptica (Rio de Mouro/Sintra):

Os trabalhadores foram confrontados com um comunicado da empresa com a decisão unilateral de marcação de férias a partir de 20/3, acrescidas de banco de horas. Receberam e-mails individuais para darem o seu “acordo”.

4.         Na empresa AMORIM INSULATION da Cortiça (Vendas Novas/Évora):

A empresa continua a laborar mas sem ter tomado medidas de prevenção e segurança no interior da fábrica que acautelem a saúde dos trabalhadores, em especial dos operários corticeiros.

Esta situação é comum às restantes empresas corticeiras, não só no Alentejo e Ribatejo, mas também na região de maior concentração do sector (concelho de Santa Maria da Feira).

5.        Na obra/empreiteiro geral TEIXEIRA DUARTE da Construção (SantosLisboa):

Os trabalhadores (cerca de 200) desta empresa a operar na obra do Hospital CUF Tejo (em Santos-Lisboa) continuam a trabalhar sem as devidas condições de prevenção e segurança.

A Direcção Nacional

Dia Nacional da Juventude Trabalhadora

Por força de surto pandémico do Coronavírus (COVID-19) foi suspensa a Manifestação Nacional da Juventude Trabalhadora que estava convocada para o dia 26 de março, em Lisboa. Porém, não cessamos a nossa luta e acção reivindicativa!

TEMPO DE ANTENA ver vídeo

Esta situação excepcional coloca a nú, não só a necessidade premente de um real investimento e valorização do SNS e nos seus profissionais, como a vulnerabilidade em que os trabalhadores, nomeadamente os jovens, trabalham e vivem.

Multiplicam-se os casos de trabalhadores cujos contratos precários não foram renovados, de trabalhadores forçados a tirar férias, de trabalhadores cujos baixos salários sofreram um golpe e numa altura em que aumentam as despesas. A precariedade deixa-nos mais expostos e vulneráveis numa altura em que precisamos de estabilidade.

É portanto urgente identificar os abusos e atropelos que os jovens trabalhadores têm sofrido e assinalar o dia 26 de Março como dia de denúncia e reivindicação, com vídeos, foto-protestos e abaixo-assinados.

Porque não queremos viver no medo e na incerteza!
Juventude com Futuro! Mais estabilidade, melhores salários!

Gestamp e AIS não podem descartar responsabilidade

df13c5d28083eb6f8042ca1501858a2c.0Na Gestamp, em Vendas Novas, e na AIS, em Montemor-o-Novo, o SITE Sul exige às administrações medidas de prevenção e rejeita os despedimentos, já iniciados, e a imputação total dos prejuízos aos trabalhadores.

SITE Sul, através das suas comissões sindicais em cada empresa, tem vindo a acompanhar a situação da pandemia de COVID-19 e a exigir a tomada de medidas claras de protecção da saúde dos trabalhadores, e soluções que não sejam imputar a estes as reduções ou suspensões temporárias da produção sem compensação nos seus salários ou direitos.

Num comunicado que emitiu hoje, o sindicato lembra que os trabalhadores têm tido todo o empenho na resposta às exigências de produção e de manutenção dos padrões de qualidade.

A AIS e a Gestamp são reconhecidamente empresas eficazes no fornecimento de componentes para o Grupo Volkswagen, incluindo a Autoeuropa. Num momento difícil para o País e para o mundo, as empresas não podem responsabilizar os trabalhadores pelas quebras de produção, da mesma forma que estes também não têm, na mesma proporcionalidade, visto nas suas retribuições a repartição dos lucros.

Admitindo que é necessária a tomada de medidas de prevenção, o sindicato rejeita o aproveitamento da situação para a realização de despedimentos, nomeadamente dos trabalhadores contratados através de empresas de trabalho temporário, como já está a acontecer na Gestamp.

Estas empresas mantêm uma elevada quantidade de trabalhadores com contratos de trabalho precários e têm acumulado milhões à custa da sua exploração e dessa precariedade, mas querem descartar-se agora deles, deixando-os desprotegidos, nomeadamente do apoio extraordinário para os pais, devido ao acompanhamento dos filhos por encerramento dos estabelecimentos de ensino.

A Gestamp e a AIS têm de disponibilizar aos seus trabalhadores opções que lhes permitam salvaguardar a sua saúde (como, por exemplo, entrar voluntariamente em quarentena), garantindo que não serão despedidos nem prejudicados na sua retribuição mensal, exige o sindicato.

Professores contestam bloqueios administrativos à progressão na carreira

SPZSCerca de uma centena de professores e educadores concentraram-se junto à DGEStE em Évora no dia 4 de março de 2020, para reclamarem pelo fim do bloqueio no acesso aos 5º e 7º escalões.

No final foi aprovada uma moção por unanimidade, sendo depois esta
entregue na respetiva delegação regional, que junto enviamos com foto
ilustrativa da concentraçã.
Fonte: SPZS

Trabalhadores exigem negociação e não imposição

FPOs trabalhadores do Agrupamento de Escolas de Vendas Novas estiveram reunidos em plenário no dia de ontem, demonstrando assim um grande descontentamento contra a imposição do Governo nas negociações para o aumento geral dos salários na Administração Pública que ficaram muito á quem do que era reivindicado pela CGTP-IN 90 € para todos, e identificados com todas as reivindicações apresentadas pelo seu sindicato de classe o Sindicato dos Trabalhadores em Funções Públicas e Sociais do Sul e Regiões Autónomas (STFPSSRA), decidiram engrossar a ação de luta, aderindo em massa à Greve Nacional da Administração Pública convocada pela Frente Comum dos Sindicatos da Administração Pública (FCSAP) agendada para o próximo dia 20 de março. Continuar a ler

Viver e lutar pela igualdade

FB_IMG_1583304854403O Sindicato dos Trabalhadores em Funções Públicas e Sociais do Sul e Regiões Autónomas (STFPSSRA), vai realizar um Plenário com os Trabalhadores do Agrupamento de Escolas de Vendas Novas , na sua sede, na Avenida 25 de Abril nº 21, amanhã dia 4 de Março, pelas 15h:00 horas, enquadrado na semana da igualdade da CGTP-IN, com a presença de Isabel Camarinha, Secretária Geral da CGTP-IN. Continuar a ler

Gestamp e AIS com Aumentos de Salários

df13c5d28083eb6f8042ca1501858a2c.0Os trabalhadores destas empresas do distrito de Évora fornecedoras da indústria automóvel conquistaram em 2020 aumentos dos salários e melhorias de outras condições de trabalho, através da luta.

Trabalhadores da Gestamp em Vendas Novas, após a fábrica parada 3h30 em Janeiro, e um processo negocial iniciado em Outubro, chegaram este mês a acordo com a empresa, com vista à melhoria das condições de vida e trabalho no futuro. Continuar a ler