Arquivo da categoria: Cimento

Cimento

CONCENTRAÇÃO de reformados, familiares e trabalhadores da CIMPOR 20 DE OUTUBRO – 11H30/13H30 – LISBOA (SEDE DA CIMPOR)

393595877_759098842692370_5635581639064657812_n

No dia 20 de Outubro (6ª feira), entre as 11h30 e as 13h30, junto à sede da Cimpor (Avenida José Malhoa, 22), realiza-se uma Concentração de reformados, familiares e trabalhadores da empresa, para defender o direito aos complementos de assistência na doença que a Administração pretende retirar, a partir desta mesma data, de imediato a cerca de 1.300 beneficiários.

A Cimpor, detida pelo Grupo OYAK (Fundo de Pensões das forças armadas turcas) “justifica” esta decisão com o objectivo de “uniformizar os direitos de todos os trabalhadores”, já que “um grupo pequeno de trabalhadores actualmente activos teriam direito ao benefício”.

Trata-se de um estranho sentido de “uniformização” que baliza todos por baixo; ou seja, retira a todos, em vez de aplicar a todos, um direito que sempre existiu na empresa.

Esta Concentração é de protesto e de exigência de revogação da medida anunciada, em simultâneo com a divulgação pública dos próximos passos a encetar pelos trabalhadores e reformados da empresa. 

A Comissão de Trabalhadores da Cimpor

A Associação de Reformados da Cimpor

Lisboa, 18 de Outubro de 2023

TRABALHADORES E REFORMADOS DA CIMPOR REJEITAM O CORTE NA ASSISTÊNCIA NA DOENÇA

CIMPOR

A Administração da CIMPOR (Grupo OYAK, da Turquia) anunciou a retirada dos complementos de assistência na doença aos actuais e aos futuros reformados e suas famílias a partir de 20 de Outubro próximo, afectando de imediato cerca de 1.300 beneficiários.

É inadmissível que uma empresa com mais de 135 milhões de euros de lucros líquidos nos últimos quatro anos, pretenda agora retirar um benefício que pertence, por direito próprio, aos seus trabalhadores.

Os trabalhadores da CIMPOR não podem ser usados para a obtenção de resultados e descartados quando se trata de usufruir de benefícios conquistados há décadas.

Por isso, rejeitam os cortes anunciados pelo Grupo OYAK e estão, desde já, a discutir e a aprovar a realização das acções e das lutas necessárias para reverter a medida anunciada pela Administração.

Assumem ainda o apoio a todas as iniciativas que os reformados da CIMPOR venham a levar a efeito para assegurar a manutenção de um direito que a todos diz respeito.

 

A Direcção Nacional da FEVICCOM

25/09/2023

GREVE NA VIROC COM ELEVADA ADESÃO!

WhatsApp Image 2023-06-28 at 10.13.31

Os trabalhadores da VIROC PORTUGAL – Indústrias de Madeira e Cimento, SA, em Setúbal, estão hoje em greve, com adesão elevada, durante a primeira hora de cada turno para defender aumentos salariais dignos e melhores condições de trabalho.

Reunidos no início da manhã, aprovaram uma Resolução exigindo o agendamento de uma nova reunião com a Administração para discutir a revisão dos aumentos salariais em 2023 e a criação de anuidades de modo a valorizar a experiência e a antiguidade.

Os períodos de greve iniciaram-se no turno da meia-noite, no turno da manhã (8h00) e voltam a ocorrer no turno da tarde (16h00).

A LUTA CONTINUA!

A Direcção do STCCMCS

28/06/2023

PRÉ-AVISO DE GREVE – VIROC PORTUGAL, S.A.

POR SALÁRIOS DIGNOS E JUSTOS PARA TODOS OS TRABALHADORES

20181115_08150 1

Para demonstrar a sua indignação e dar força à reivindicação por aumentos salariais dignos, os trabalhadores da VIROC PORTUGAL , S.A., decidiram avançar para uma greve no dia 28 de Junho de 2023, entre as 00h00 e as 24h00, uma hora ao início de cada turno.
Os trabalhadores da VIROC PORTUGAL,S.A. consideram-se desvalorizados pela empresa quando cumprem as suas funções laborais com elevado profissionalismo, empenho e dedicação, com salários claramente insuficientes para fazer face ao aumento do custo de vida.
16 de Junho de 2023
(STCCMCS – Sindicato dos Trabalhadores das Indústrias de
Cerâmica, Cimentos e Similares, Construção, Madeiras,
Mármores e Cortiças do Sul e Regiões Autónomas)

Conquistado o maior aumento salarial dos últimos anos na CIMPOR!

Plenário CIMPOR

Fruto da unidade, da elevada participação, intervenção e disponibilidade dos trabalhadores para a luta, ao longo de todo o processo negocial, os recentes plenários mandataram a FEVICCOM para assinar no dia 12 de Abril a revisão salarial do Acordo de Empresa (AE CIMPOR) para este ano.

Esta revisão consagra um primeiro aumento intercalar de 4% acrescido de mais 4% com aumentos mínimos sobre os salários praticados de 90 Euros no 1º semestre de 2023 e de 110 Euros no 2º semestre, para além de 8% nas cláusulas pecuniárias.

Desta forma, na variação entre a última tabela publicada em 2022 e a tabela a publicar em 2023, verifica-se que:

No nível intermédio (Nível 8), o aumento salarial mensal será de:

142 Euros no 1º semestre de 2023 e 162 Euros no 2º semestre,

evoluindo dos 1.308,00€ para os 1.470,00€, ou seja, +12,4%.

 O aumento salarial mais baixo (Nível 1) será de 126 Euros e o mais elevado (Nível 15) será de 292 Euros.

  As restantes matérias pecuniárias terão acréscimos entre os 8% e os 12,2%:

- Subsídio de Refeição; Subsídio de Prevenção; Anuidades; Subsídios de Trabalhador-Estudante: aumento de 8%;

- Subsídio de Transporte: aumento mensal de 5 Euros (11,6%);

- Subsídios de turno: aumento de 12,2% na laboração contínua (fixando-se nos 457,50€).

 As actualizações serão processadas neste mês de Abril, com retroactivos a 1 de Janeiro de 2023 e publicadas em breve no Boletim de Trabalho e Emprego (BTE).

 JUNTOS, ACREDITÁMOS!

UNIDOS, CONQUISTÁMOS!

 

 

A Direcção Nacional da FEVICCOM

13 de Abril de 2023

Comunicado aos trabalhadores da CIMPOR

CONTRA FACTOS, NÃO HÁ ARGUMENTOS!

WhatsApp Image 2023-02-23 at 09.59.09

Face ao comunicado da Direcção de Recursos Humanos da Cimpor de 22/02/2023 acerca da negociação do AE, vamos ao que interessa:

  1. A empresa teve no ano de 2021 um Resultado Líquido de 35,4 milhões de euros, o mais elevado dos três últimos anos. Por isso, não falta dinheiro para o aumento dos salários.
  1. Perante a elevada inflação, a redução do poder de compra e o descontentamento dos trabalhadores face à forma como foram distribuídos os lucros em 2022, a empresa sentiu a necessidade de processar 4% sobre os salários.
  1. Este valor foi aplicado apenas a partir de Julho limitando-se a mitigar parte do impacto da inflação verificada.
  1. Objectivamente, a proposta apresentada pela empresa para este ano é de 3,9% sobre os salários actualmente praticados.
  1. Ou seja, a partir de Janeiro de 2023, os trabalhadores não teriam um acréscimo mínimo de 110€, mas apenas uma actualização de 3,9% que pode significar, nuns casos, 40€, noutros 50€ e eventualmente noutros, 60€, mensais.
  1. Esta é uma proposta baixa para quem produz muito.

Se a Cimpor considera que os seus trabalhadores trabalham bem, então não tem de lhes pagar mal. Por isso, exigimos que a empresa responda positivamente às propostas sindicais.

  1. Quanto ao que se verifica nas mesas negociais de outras empresas, a Cimpor deve-se preocupar mais com aquilo que se passa cá e menos com o que acontece lá. Se o fizer, por certo, ultrapassará a actual situação.
  1. Nos processos negociais conduzidos pela FEVICCOM, os trabalhadores são quem mais ordena. São eles que constroem as reivindicações e têm voz determinante nas decisões.

Reafirmamos a nossa disponibilidade para uma negociação que assegure uma justa solução.

Compete agora à empresa dar os passos necessários para que tal aconteça.

 

A Direcção Nacional

23 de Fevereiro de 2023

ACORDO NEGOCIAL ENTRE A FEVICCOM E A SECIL COM AUMENTOS SALARIAIS ENTRE OS 110€ E OS 180€

secil-0654

As negociações para revisão do Acordo de Empresa (AE) iniciaram-se no final de Agosto de 2022 com uma grande participação dos trabalhadores em todos os plenários e a firme determinação de recorrerem à luta para defenderem as suas justas reivindicações.

O acordo agora estabelecido entre a FEVICCOM e a SECIL fixou-se entre o mínimo de aumento salarial de 110,00€ e o máximo de 180,41€.

Desta forma, na tabela salarial deste ano de 2023 o salário mais baixo passa a ser 1.061,54€ e o mais alto será 3.584,42€.

Para além dos aumentos salariais, serão também actualizados os valores das anuidades, subsídio de refeição, subsídio de turno, subsídio de apoio escolar e subsídio por nascimento ou adopção de filho/a.

O acordo é válido para o ano de 2023, para a Secil e para a Cimentos Madeira e as actualizações serão processadas neste mês de Fevereiro com retroactivos a Janeiro de 2023.

O aumento dos salários dos trabalhadores é imperioso, possível e determinante para assegurar maior crescimento económico, promover uma mais justa repartição da riqueza, aumentar a produtividade e incentivar a motivação laboral. 

A Direcção Nacional da FEVICCOM

14/02/2023

A unidade dos trabalhadores da CIMPOR produz resultados!

 

FEVICCOM

Federação Portuguesa dos Sindicatos da Construção, Cerâmica e Vidro
Rua Cidade de Liverpool, nº 16 – Pisos 01 e 1 – 1170-097 LISBOA – Tel. 21 881 8585 – Fax: 21 881 8599 – geral@feviccom.pt

Fruto da unidade, da participação dos trabalhadores e da possibilidade de avançarem para a greve ainda em Abril, foi possível chegar ao seguinte resultado na reunião de negociações do AE CIMPOR, no dia 6 de Abril:

  • SALÁRIOS:

- 2% com aumento mínimo de 40,00€, de Janeiro a Junho

- 2% com aumento mínimo de 55,00€ (ou seja, mais  15,00€), de Julho a Dezembro

  • ANUIDADES:

- 14,80€, até 16 anos (acréscimo de 2,6%)

- 1,90€, mais de 16 anos (acréscimo de 4,3%)

  • SUBSÍDIO DE REFEIÇÃO:

- 10,50€ (acréscimo de 2,1%)

  • HORÁRIO DE TRABALHO:

- Constituição de um grupo de trabalho com representantes sindicais e da empresa para apresentar conclusões até Setembro de 2022, sobre a uniformização das 37,5h para todos os trabalhadores. 

Estas e outras matérias relacionadas com as condições de trabalho serão tratadas nos próximos Plenários de Trabalhadores a realizar:

- 2ª feira, 11 de Abril: CP ALHANDRA – 15h30

- 3ª feira, 12 de Abril: CP LOULÉ – 15h00

- 4ª feira, 13 de Abril: CP SOUSELAS – 15h30 

JUNTOS CHEGÁMOS ATÉ AQUI.

Juntos vamos continuar a melhorar as condições de vida e de trabalho. 

TODOS AOS PLENÁRIOS!

A Direcção Nacional

            7 de Abril de 2022