Greve na SUPER BOCK – Pressões e ilegalidades não desmobilizaram Trabalhadores.

Terminou ontem à noite a greve, de seis dias, dos Trabalhadores da Super Bock, por melhores salários e condições de trabalho e contra o fim da negociação imposto pela Administração.

Feito o balanço, a Direção do SINTAB realça a postura irrepreensível dos Trabalhadores, que aderiram em larga escala, apesar das pressões e chantagens anteriormente denunciadas, e não responderam às provocações das chefias, durante a Greve, que visavam a confrontação direta aos Trabalhadores em greve, substituindo-os durante esse tempo.

Super Bock chantageia trabalhadores

Durante os últimos seis dias, o SINTAB denunciou às autoridades 11 ocorrências ilegais, que violam o direito à greve.

Desde a não precaução, por parte da Super Bock, para que os Trabalhadores pudessem cumprir o seu direito à greve em segurança e sem por em causa a qualidade dos produtos, até à substituição direta de Trabalhadores declaradamente em greve, passando pelo reforço do contingente operacional com recurso a trabalho extraordinário e Trabalhadores temporários que exerceram funções diferentes daquelas para que foram contratados, foram seis dias que mancharão a negro a história da Super Bock por atropelos graves aos direitos e à dignidade dos seus Trabalhadores.

A greve impactou negativamente os índices de produção da Super bock, ao provocar paragens completas, durante os períodos referenciados, de, pelo menos, quatro das seis linhas de enchimento, e provocar restrições operacionais nas restantes, ora por necessidades de manutenção, ora por falta de técnicos capacitados.

Os resultados operacionais, em particular das linhas de enchimento de garrafas, espelham bem o impacto da greve dos Trabalhadores.

O SINTAB valoriza os resultados da greve, e enaltece a atitude corajosa dos Trabalhadores que souberam responder de cara levantada às ameaças que receberam nos dias que antecederam a greve!

Valorizamos ainda todos aqueles Trabalhadores dos setores administrativos que, pela primeira vez, assumiram a necessidade de se envolver numa luta que é de todos, juntando-se também à greve.

Compete agora à Administração da SUPER BOCK analisar a postura adotada e aferir a relação custo benefício que resulta dos efeitos da greve provocada pelas atitudes ofensivas aos Trabalhadores, forçando a paragem da negociação mesmo numa situação em que os Sindicatos haviam já dado indicações de proximidade da convergência com vista a acordo.

O SINTAB manterá a efetividade, quer da denúncia pública, quer da organização de massas, junto dos Trabalhadores, não só para a defesa dos seus direitos e salários, como para a sua constante melhoria, em linha com os ótimos resultados económicos da empresa.

ler pdf

Bebidas

AE Central de Cervejas

Revisão Global: http://bte.gep.msess.gov.pt/documentos/2006/41/44104425.pdf

Revisão Salarial: http://bte.gep.msess.gov.pt/documentos/2013/28/02350239.pdf

comunicado em anexo do acordo para 2013/2014

ACT Super Bock

Revisão Global: http://bte.gep.msess.gov.pt/documentos/2019/7/05760597.pdf

ACT Empresa de Cervejas da Madeira

Revisão Global: https://joram.madeira.gov.pt/joram/3serie/Ano%20de%202018/IIISerie-12-2018-06-18.pdf

AE Font Salem

Acordo Global: http://bte.gep.msess.gov.pt/documentos/2018/32/30413059.pdf

CCT Águas, Sumos e Refrigerantes

Revisão Global: http://bte.gep.msess.gov.pt/documentos/2009/28/31313163.pdf

Revisão Salarial: http://bte.gep.msess.gov.pt/documentos/2011/20/17951798.pdf

CCT Adegas Cooperativas

Revisão Global: http://bte.gep.msess.gov.pt/documentos/2010/9/07650784.pdf

Revisão Salarial: http://bte.gep.msess.gov.pt/documentos/2011/1/00600062.pdf

CCT Vinhos (Armazém)

Revisão Global: http://bte.gep.msess.gov.pt/documentos/2010/43/46104626.pdf