Arquivos de 28 de Novembro de 2014

Assédio Moral

assédio nãoO QUE É O ASSÉDIO NO LOCAL DE TRABALHO? 

É um comportamento indesejado (gesto, palavra, atitude, etc.) praticado com alguma frequência, e tendo como objectivo ou efeito, afectar a dignidade da pessoa ou criar um ambiente intimidativo, hostil, degradante, humilhante ou desestabilizador. Ler mais

Saudação aos trabalhadores da Unicer

O direito ao trabalho e ao trabalho com direitos está consagrado na lei e na Constituição da República Portuguesa.

A Administração da empresa UNICER,Bebidas, S.A., apoiando-se nas politicas retrógradas e anti-trabalhadores do Governo PSD/CDS-PP, não está a respeitar o direito ao trabalho de que os seus trabalhadores são titulares.

Com efeito, a UNICER, Bebidas,S.A., procedeu recentemente ao despedimento de um trabalhador efectivo e de mais três trabalhadores na situação de temporários não tendo justificação válida para o fazer.

Contra esta situação, os trabalhadores da UNICER, Bebidas, S.A. não deixaram de protestar e de fazer luta contra os despedimentos e em defesa do trabalho seguro.

Os trabalhadores da UNICER, S.A., com o apoio da Direcção do SINTAB realizam hoje dia 13/11/14, uma greve parcial com deslocação à sede da empresa em Lisboa e junto do Ministério da Economia para exigir a anulação dos despedimentos em causa e a imediata admissão ao serviço dos trabalhadores despedidos.

Assim, a Direcção Nacional do SINTAB, decide:

- Protestar contra os despedimentos em curso e exigir à Administração da UNICER,S.A. que respeite o direito ao trabalho com direitos, reintegrando imediatamente os trabalhadores despedidos.

- Manifestar uma calorosa saudação à luta dos trabalhadores bem como o seu apoio e solidariedade exortando-os para que em unidade prossigam a mesma no sentido de que seja assegurado o regresso dos trabalhadores despedidos aos quadros da empresa.

A Direcção Nacional do SINTAB

Saudação aos trabalhadores da Fermentopão

A legislação e as disposições contratuais obrigam a que os salários sejam pagos na forma devida e pontualmente.

A Administração da Fermentopão, desrespeitando assiduamente as normas legais, quanto ao pagamento dos salários prejudica seriamente a vida pessoal e familiar dos seus trabalhadores.

Por tal facto, os trabalhadores da Fermentopão, têm feito várias lutas em defesa dos seus direitos e, para que os salários lhes sejam pagos no tempo certo, como é o exemplo, a greve que fizeram, com o apoio do Sindicato, no passado dia 31 de Outubro.

Nestas circunstâncias, a Direcção Nacional do SINTAB, decide o seguinte:

- Protestar energicamente contra a atitude da empresa em persistir no pagamento irregular dos salários aos trabalhadores;

- Exigir que a Administração da Fermentopão pague os salários com o respeito que é devido, à lei e aos trabalhadores;

- Saudar os trabalhadores, pela luta que têm desenvolvido para a reposição da legalidade no pagamento dos salários, manifestando a sua solidariedade e apoio à mesma até que a situação esteja resolvida.

 

A Direcção Nacional do SINTAB

Dia de Indignação, Acção e Luta

O SINTAB, no âmbito do Dia Nacional de Indignação, Acção e Luta, vai realizar as seguintes iniciativas:

UNICERUnicer – No seguimento da greve dos trabalhadores da UNICER, a 2 horas por turno, com uma adesão a 100%, no próximo dia 13 de Novembro, os trabalhadores da UNICER vão concentrar-se junto à Embaixada da Dinamarca, entre as 14.30 e as 15.30 e junto ao Ministério da Economia, entre as 16.00 e as 17.00 horas. Estas concentrações têm como objectivo, protestar contra os despedimentos na empresa UNICER.

Distribuição aos clientes das lojas Pingo Doce no distrito imagesPFDJ95NQde Setúbal – Por aumentos salariais! Pelas melhorias das condições de trabalho!

ESIP – Plenário com deslocação de um grupo à administração da empresa, para exigir aumentos salariais dignos.

Encerramento da Glaciar

glaciarMais 36 trabalhadores no desemprego

A Glaciar Indústria, S.A., em Manteigas, que enche as Águas Glaciar, foi hoje encerrada sem qualquer aviso.

36 trabalhadores desconhecem o seu futuro, o administrador da empresa não presta qualquer informação sobre o encerramento e os trabalhadores vão manter-se à porta da empresa até saberem qual o futuro da empresa e dos seus postos de trabalho.

 

 

Greve na UNICER

unicer
Os trabalhadores da UNICER, no Porto, realizam uma greve de 2 horas por turno, de 3 a 5 de Novembro. Estes trabalhadores estão contra o despedimento ilegal e exigem a reintegração de 1 trabalhador com vínculo efectivo há 15 anos.
A UNICER alegou a extinção do posto de trabalho e, no entanto, contratou uma empresa de prestação de serviços para realizar as funções exercidas por este trabalhador.Exigem ainda a passagem aos quadros da empresa de 3 trabalhadores, com contratos de trabalho temporário, que foram dispensados passados 3 anos a laborar na UNICER, tendo a empresa contratado novos trabalhadores em situação precária para os substituir.

A greve teve até agora uma adesão de 100% em todos os turnos.

Pela manutenção dos postos de trabalho.
Por cada posto de trabalho permanente, um contrato de trabalho com vínculo efectivo.